Programação radiofônica e infância:

temática, estilo e forma composicional de programas informativos voltados para o público infantil

  • Suely Maciel Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) https://orcid.org/0000-0003-4103-6942
  • Michele Letícia Custódio Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
Palavras-chave: Rádio infantil, Programação Radiofônica, Jornalismo, Unespinha, Mambembeiro

Resumo

O estudo discute a temática, o estilo e a forma composicional de programas destinados ao público infantil e debate a importância de produções em mídia sonora voltadas para o segmento. A partir da análise de temas, seções, estilos de locução, propostas editoriais etc. dos programas Unespinha e Mambembeiro, o estudo discute a repetição, nas atrações, de algumas fórmulas próprias da produção de conteúdos para o público adulto e a pouco criativa e diversificada exploração da sintaxe radiofônica, o que acarreta baixo estímulo à imaginação do ouvinte criança e se soma ao emprego de estratégias que mimetizam o discurso infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suely Maciel, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Pós-doutorado em Comunicação pela Universidade Autônoma de Barcelona (UAB); docente do Programa de Pós-Graduação em Mìdia e Tecnologia (PPGMiT) da Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Michele Letícia Custódio, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Bacharel em Comunicação Social Jornalismo, pela Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Referências

BARBOSA FILHO, André. Gêneros Radiofônicos. São Paulo: Paulinas, 2003.
CAVALCANTE, Andréa P. P.; LIMA, Nonato. “Criança e adolescente no rádio: múltiplas vozes tecendo cidadania?” In: SAMPAIO, Inês S. V.; CAVALCANTE, Andréa P. P.; ALCÂNTARA, Alessandra Carlos. Mídia de chocolate: estudos sobre a relação infância, adolescência e comunicação. Rio de Janeiro: E-papers, 2006. p. 47-62.
DORETTO, Juliana. “Jornalismo infantil e os nativos digitais”. In: INTERPROGRAMAS DE MESTRADO DA FACULDADE CÁSPER LÍBERO, 6, 2010, São Paulo. Anais… São Paulo: Faculdade Cásper Líbero, 2010.
DORETTO, Juliana. “Jornalismo para a infância: uma proposta de definição”. C-Legenda - Revista do Programa de Pós-graduação em Cinema e Audiovisual, [S.l.], n. 30, p. 59-72, ago. 2014.
FERNANDES, Rodrigo Fonseca. “Brincando com os sons: os programas infantis de rádio como experiência da cultura do ouvir”. Revista Rádio-Leituras, Mariana-MG, v. 07, n. 01, p. 108-125, jan./jun. 2016.
FERRARETTO, Luiz Artur. “Possibilidades de convergência tecnológica: pistas para a compreensão do rádio e das formas do seu uso no século 21”. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 30, 2007, Santos. Anais… São Paulo: Intercom, 2007.
FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: teoria e prática. São Paulo: Summus Editorial. 2014.
FERREIRA, Thais; MORALES, Carolina. “Mediações familiares no uso de mídias digitais por crianças de 0 a 5 anos”. In: Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da PUC-Rio, 25, 2017, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro, PUC, 2017.
GIL, Antonio C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo, Atlas, 2002.
HAUSSEN, Doris Fagundes. Rádio e criança: um estudo sobre a ausência de programação infantil nas emissoras de Porto Alegre. 1988. 207f. Dissertação (Mestrado em Comunicação). ECA/USP, São Paulo, 1988.
HERSCHMANN, Micael; KISCHINHEVSKY, Marcelo. “A ‘geração podcasting’ e os novos usos do rádio na sociedade do espetáculo e do entretenimento”. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 15, n. 37, p. 101-106, dez. 2008.
IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeções e estimativas da população do Brasil e das Unidades da Federação - revisão 2018, 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em Acesso em 21 mai 2020.
KISCHINHEVSKY, Marcelo. “Cultura da portabilidade – novos usos do rádio e sociabilidades em mídia sonora”. Observatório (OBS*), Lisboa, v.3, n.1, p. 223-238, 2009.
LOPEZ VIGIL, José Ignacio. Manual urgente para radialistas apaixonados. São Paulo: Paulinas, 2003.
PEREIRA, Eugênio Tadeu et al. “Música e infância no rádio: o programa Serelepe na Rádio UFMG – Educativa”. Per musi, Belo Horizonte, n. 22, p. 150-156, dez. 2010.
PORTAL EBC. [Site da emissora]. Disponível em Acesso em 09 jul 2019.
RÁDIO UNESP. [Site da emissora]. Disponível em . Acesso em 07 mai 2019.
RIBEIRO, Adriana Gomes. A criança em situação de escuta: uma aproximação à audiência infantil de rádio. 2015. 226f. Tese (doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.
RIBEIRO, Adriana. “Criança ainda ouve rádio?”. Revista Pontocom, 19 out. 2016. Disponível em . Acesso em 22 de jan 2020.
RODERO ANTÓN, Emma. Producción radiofónica. Madrid: Cátedra, 2005.
WEIGELT, Diego; RÖHSLER, Veridiana.“’Dá para ouvir no celular? Eu não sei!’ – O rádio e as crianças em Venâncio Aires-RS”. Revista Rádio-Leituras, Mariana-MG, v. 09, n. 02, p. 09-28, jul./dez. 2018.
Publicado
2020-07-06
Como Citar
Maciel, S., & Custódio, M. (2020). Programação radiofônica e infância:. Revista Alterjor, 22(2), 337-356. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v22i2p337-356