O Ethos jornalístico nas crônicas de guerra de Rubem Braga

  • Marcos Paulo da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Caio Mateus Teruel de Paula Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Palavras-chave: Jornalismo; Literatura; Ethos jornalístico; Crônica; Rubem Braga.

Resumo

O artigo constitui uma análise da representação de um ethos jornalístico nas crônicas de guerra do escritor brasileiro Rubem Braga. O recorte empírico remete a quatro textos originalmente publicados no jornal Diário Carioca enquanto o cronista atuava como correspondente junto ao exército brasileiro na Itália durante a Segunda Guerra Mundial. A partir da análise das crônicas, verifica-se a complexidade por trás do ethos efetivo denotado por Rubem Braga como amálgama de um “ethos pré-discursivo”, de um “ethos dito” e de um “ethos mostrado” típicos das contradições e das precariedades do contexto em que os textos se inserem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Paulo da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Doutor em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), com estágio de doutorado-sanduíche na Syracuse University (Nova Iorque, Estados Unidos).

Caio Mateus Teruel de Paula, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e jornalista graduado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Referências

AMOSSY, Ruth. “O ethos na intersecção das disciplinas: retórica, pragmática, sociologia dos campos”. In: AMOSSY, Ruth (Org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005.

BATISTA, Geraldo José. “O cronista com a FEB na Itália: entre o factual e o literário”. Anais do Simpósio Internacional Literatura, Crítica, Cultura. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2012.

BRAGA, Rubem. Crônicas da Guerra na Itália. 7.ed. Rio de Janeiro. Record. 2014

BRAGA, Rubem. Com a FEB na Itália: crônicas. Rio de Janeiro: Zelio Valverde, 1945.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: Editora da USP, 2008.

CANDIDO, Antonio. “A vida ao rés-do-chão”. In: CANDIDO, Antonio (Org.). A Crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas (SP), Rio de Janeiro: Editora da UNICAMP, Fundação Casa de Rui Barbosa, 1992.

CARVALHO, Marco Antônio de. Rubem Braga: um cigano fazendeiro do ar. 2. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2013.

CHAPARRO, Manuel. Carlos. Sotaques d’aquém e d’além mar. Santarém: Jortejo, 1998.

EGGS, Ekkehard. “Ethos aristotélico, convicção e pragmática moderna”. In: AMOSSY, Ruth (Org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005.

MAINGUENEAU, Dominique. “A propósito do ethos”. In: MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana. Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. São Paulo: Cortez, 2013.

MERON, Luciano Bastos. Memórias do front: relatos de guerra de veteranos da FEB. Dissertação (mestrado). Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

MEYER, Marlyse. “Voláteis e versáteis. De variedades e folhetins se fez a chronica”. In: CANDIDO, Antonio (org.). A crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas (SP), Rio de Janeiro: Editora da UNICAMP, Fundação Casa de Rui Barbosa, 1992.
Publicado
2020-07-06
Como Citar
Silva, M. P. da, & Paula, C. M. T. de. (2020). O Ethos jornalístico nas crônicas de guerra de Rubem Braga. Revista Alterjor, 22(2), 210-229. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v22i2p210-229