Experimentos etnográficos em redes e varandas

a religião em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29isuplp289-301

Palavras-chave:

Religião, Covid-19, Brasil, Redes sociais, Espaços domésticos

Resumo

Neste artigo, com foco em experimentos etnográficos relacionados à religião em tempos de Covid-19, compartilhamos reflexões preliminares sobre arranjos e conciliações que produzem a religião vivida. Foram dois os contextos de obtenção do material apresentado: de um lado, as redes sociais e aplicativos de mensagens, recursos previamente utilizados em pesquisas etnográficas realizadas em Curitiba e no Rio de Janeiro, e, de outro, as varandas em um condomínio no subúrbio carioca. Em comum aos campos de pesquisa das três autoras destaca-se a multiplicação de práticas e a intensificação de celebrações religiosas durante a pandemia. Os experimentos demonstram, assim, possibilidades de continuidade das pesquisas antropológicas na pandemia e evidenciam que a religião próxima ao cotidiano, além de fornecer imagens e metáforas para as advertências quanto aos potenciais riscos à saúde causadas pelo Covid-19, também tem sido frequentemente mobilizada a favor da organização da experiência coletiva de quarentena, regulando horários, ativando redes de solidariedade, evocando lembranças sobre as comunidades de fé, criando licenças para escapar da rigidez do isolamento e buscando estabelecer uma ética em nome do bem comum

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Martins de Melo Bottino, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense, com bolsa Capes, Mestrado em Bens Culturais e Projetos Sociais pela Fundação Getúlio Vargas/ RJ. Atua como professora convidada na pós-graduação em turismo cultural, do Instituto dos Pretos Novos e como mediadora à distância no curso de licenciatura em turismo do Consórcio CECIERJ/CEDERJ.

Eva Lenita Scheliga, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Antropologia Social (USP). Professora Adjunta do Departamento de Antropologia da Universidade Federal do Paraná.

Renata de Castro Menezes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

É professora associada do Departamento de Antropologia do Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com Doutorado em Antropologia Social pela mesma instituição. Pesquisadora produtividade do CNPq e Cientista do Nosso Estado Faperj. Estágio Sênior Capes na New York University (2015-2016).

Referências

GEERTZ, Clifford. (2001). O beliscão do destino: a religião como experiência, sentido, identidade e poder. In: Nova Luz sobre a Antropologia. Rio de Janeiro: Zahar. p. 140-165

HINE, Christine. (2004). Etnografía Virtual. Barcelona: UOC.

MALINOWSKI, Bronislaw. (1998). Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural.

MENEZES, Renata de Castro; SANTOS, Lívia Reis. (2020). “Religião e Covid-19: notas sobre Cristianismos”. Boletim Cientistas Sociais e o coronavírus, n. 62, 15/06/2020. Disponível em: https://cutt.ly/afA6gmG. Acesso em: 31jul 2020.

MEYER, Birgit. (2017). “Mediação e imediatismo: formas sensoriais, ideologias semióticas e a questão do meio”. Campos - Revista de Antropologia Social, v.16, n. 2. Curitiba, p. 45–64.

MILLER, Daniel. “A antropologia digital é o melhor caminho para entender a sociedade moderna. Entrevista a Mônica Machado”. Revista Z Cultural, v.1, n.1, 2015. Disponível em: https://cutt.ly/Rdlb2RI . Acesso em 02 ago 2020.

MILLER, Daniel. (2020). “Como conduzir uma etnografia durante o isolamento social.” Daniel Miller. 03/05/2020. 20’13”. Disponível em: https://youtu.be/NSiTrYB-0so Consultado em: 23 mai 2020.

ORSI, Robert. (2002). “Introduction to the third edition: history, real presence, and the refusal to be purified”. In: The Madonna of 115th Street. 3a. Ed. New Haven/London: Yale University Press. p.ix-xxvi.

PIETTE, Albert. (1999). La religion de près. L'activité religieuse en train de se faire. Paris: Métailié.

Downloads

Publicado

2020-09-17

Como Citar

Bottino, C. M. de M., Scheliga, E. L., & Menezes, R. de C. (2020). Experimentos etnográficos em redes e varandas: a religião em tempos de pandemia. Cadernos De Campo (São Paulo 1991), 29(supl), 289-301. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29isuplp289-301

Edição

Seção

Artigos e Ensaios