Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Submissões

Submissões Online

Já possui um login/senha de acesso à revista Cadernos de Psicologia Social do Trabalho?
Acesso

Não tem login/senha?
Acesse a página de cadastro

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso.

 

Diretrizes para Autores

1) Serão aceitos para apreciação e posterior publicação, manuscritos monográficos contendo relatos de pesquisas ou ensaios abordando temáticas da psicologia social do trabalho e dos processos organizativos. Os manuscritos devem ser enviados para cpst@usp.br (ainda não estamos fazendo a sumissão pelo portal).

2) Para que um manuscrito seja apreciado pelo conselho editorial, o proponente deverá dar garantias de que se trata de um trabalho ainda não publicado, de que não foi enviado para qualquer outra revista e de que todos os autores e as fontes de comunicações pessoais aprovam sua publicação por meios impressos e digitais.

3) Os autores deverão informar se há conflitos de interesse que possam comprometer os resultados do trabalho apresentados.

4) Os autores deverão informar, no caso de relato de pesquisa, se o estudo que originou o artigo foi avaliado por um comitê de ética ou não.

5) Os autores deverão informar, quando for caso, as fontes de financiamento dos trabalhados submetidos.

6) Os autores deverão concordar, em caso de aprovação para publicação, com a transferência para a revista dos direitos da primeira publicação do texto.

7) O manuscrito deve ser redigido em português ou espanhol. O arquivo deverá ter a seguinte formatação: formato de papel A4, fonte Times New Roman, corpo 12, estilo normal em todos os parágrafos, espaçamento 1,5 e margens de 2 centímetros, sem quebras de páginas ou de seções. Títulos e subtítulos deverão estar em negrito e ter apenas a primeira letra maiúscula (não utilizar caixa alta no texto). O manuscrito completo (incluindo notas de rodapé e referências) não poderá ultrapassar 55 mil caracteres (contando-se também os espaços). Ele deverá estar em um único arquivo, em formato compatível com os editores de textos Word ou OpenOffice/LibreOffice, de preferência em .doc ou .odt.

8) O arquivo deverá conter título na língua original e em inglês, nomes completos por extenso de todos os autores, afiliações institucionais completas de todos os autores, endereços eletrônicos de todos os autores, resumo, abstract, palavras-chave e keywords.

9) As informações sobre a afiliação institucional de cada autor compreendem: nome da instituição (universidade, por exemplo), nome da unidade (faculdade ou instituto, por exemplo), nome do departamento (quando for o caso).

10) O resumo, com até 1200 caracteres (contando-se também os espaços), será apresentado em um único parágrafo e informará: objetivos, metodologia (quando for o caso), resultados e conclusões. O mesmo vale para o abstract.

11) O conjunto das palavras-chave deverá refletir o conteúdo do texto e reunir de três a seis expressões. O mesmo vale para as keywords.

12) As referências seguirão o padrão da American Psychological Association (APA), explicado a seguir.

13) As notas apontadas no corpo do texto deverão ser indicadas com números sequenciais, imediatamente depois da frase a que digam respeito. As notas deverão ser apresentadas no rodapé da mesma página.

14) A critério dos editores, o manuscrito será enviado para avaliação por consultores ad hoc, escolhidos entre pesquisadores de reconhecida competência na área. São indicados até dois consultores, mas, eventualmente, um terceiro poderá ser convocado. Os consultores não terão acesso aos nomes dos autores. Os autores serão avisados da aceitação, da recusa ou da necessidade de modificações no texto.

15) Pequenas correções poderão ser feitas pelos editores, desde que não alterem o conteúdo do manuscrito e as intenções dos autores. No entanto, a responsabilidade pela revisão do texto e sua correção do ponto de vista ortográfico e gramatical estará a cargo dos autores, sob o risco de a publicação ser recusada até que as devidas correções sejam feitas.

16) Alternativamente e mediante autorização expressa dos editores, o material poderá ser encaminhado pelo correio, em CD-ROM ou disquete, para o endereço:Centro de Psicologia Aplicada ao TrabalhoAv. Prof. Mello Moraes, 1721, Bloco D, sala 163, Cidade UniversitáriaSão Paulo, SP, 05508-030

 

Normas para citações

1)  Os Cadernos de Psicologia Social do Trabalho adotam as normas da APA1 na apresentação das citações no texto e das referências. As referências dos autores citados devem ser apresentadas no final do texto e não em notas de rodapé. Constarão apenas as obras a que são feitas alusões ao longo do texto.

2)  Os autores devem ser apresentados pelo sobrenome e seguidos pelo ano da publicação. Nas citações com dois autores os sobrenomes quando citados entre parênteses devem ser ligados por “&”; quando citados no texto devem ser ligados por “e”: (Lima & Oliveira, 1995) ou Lima e Oliveira (1993).

3)  No caso de citações com três a cinco autores, a primeira vez em que aparecem no texto são citados todos os autores; nas citações seguintes cita-se o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão latina “et al.”.. Já em citações com seis ou mais autores, cita-se sempre o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão “et al.”. (nas referências, ao final do texto, devem aparecer os nomes de todos os autores, sejam quantos forem): (Silva, Santos & Gomes, 1997) ou Silva, Santos e Gomes, 1997; Nas citações seguintes: (Silva et al., 1997) ou Silva et al. (1997).

4)  Em citações de vários autores e uma mesma ideia, deve-se obedecer à ordem alfabética de seus sobrenomes e não à ordem cronológica: (Lacaz, 1997; Minayo-Gomez, 1997; Rego, 1993) ou Lacaz (1997), Minayo-Gomez (1997), Rego (1993).

5)  No caso de citações de autores com mesmo sobrenome indicar as iniciais dos prenomes abreviados: (A. M. Rodrigues, 1992; L. M. Rodrigues, 1990) ou A. M. Rodrigues (1992) e L. M. Rodrigues (1990).

6)  No caso de documentos com diferentes datas de publicação e um mesmo autor, citam-se o sobrenome do autor e os anos de publicação em ordem cronológica. Quando se tratam de publicações diferentes com a mesma data, acrescentam-se letras minúsculas após o ano de publicação: (Gergen, 1973, 1985a, 1985b, 1985c, 1989) ou Gergen (1973, 1985a, 1985b, 1985c, 1989).

7)  Documentos cujo autor é uma entidade coletiva, devem ser citados pelo nome da entidade por extenso, seguido do ano de publicação: (Associação Brasileira de Psicologia Social, 1995) ou Associação Brasileira de Psicologia Social (1995).

8)  Para citações de informações obtidas através de canais informais (aula, conferência, comunicação pessoal, e-mail etc.), acrescenta-se a informação entre parênteses após a citação: (Comunicação pessoal, 1º de maio de 1999).

9)  Obras antigas e reeditadas: citar a data da publicação original seguida da data da edição consultada quando isso for importante de ser informado ao leitor: Goffman (1959/1985) ou (Goffman, 1959/1985).

10)  No caso de transcrição literal de um trecho de um texto, esta deve ser delimitada por aspas duplas, seguida do sobrenome do autor, data e página citada: (Ibáñez, 1992, p. 22) ou Billig (1994, pp. 12-13). No caso de citação de trecho com 40 ou mais palavras, este deve ser apresentado em parágrafo próprio sem aspas, iniciando com a linha avançada (equivalente a cinco toques de máquina) e terminando com a margem direita igualmente recuada.

11)  Na citação indireta, ou seja, aquela cuja ideia é extraída de outra fonte, utilizar a expressão “citado por”: Vico (1965, citado por Shotter, 1993) ou Vico (1965) citado por Shotter (1993). Nas referências mencionar apenas a obra consultada, no caso: Shotter, J. (1993).

 

Normas para referências

1) As referências deverão ser apresentadas no final do artigo. Sua disposição deve ser em ordem alfabética do último sobrenome do autor. No caso de mais de uma obra de um mesmo autor, as referências deverão ser dispostas em ordem cronológica de publicação. Para cada referência, mencionar todos os autores, independentemente de quantos sejam, na ordem em que aparecem no original.

2) Livros com um ou mais autores:Mello, S. L. M. (1988). Cotidiano e sobrevivência: mulheres do campo e da periferia de São Paulo. São Paulo: Ática.Henriques, J., Holloway, W., Urwin, C., Venn, C. & Walkerdine, V. (1984). Changing the subject: psychology, social regulation and subjectivity. London: Methuen.

3) Com autoria institucional:Grupo Krisis (1999). Manifesto contra o trabalho (H. D. Heidemann, trad.). São Paulo: Labur.

4) Com entrada pelo título sem autoria específica:Consolidação das Leis do Trabalho (1977). (46ª ed. atualizada). São Paulo: Atlas.

5) Com indicação de edição ou tradutor:Bosi, E. (1994). Memória e sociedade: lembranças de velhos (4ª ed.). São Paulo: Companhia das Letras.Orstman, O. (1984). Mudar o trabalho: as experiências, os métodos, as condições de experimentação social (H. Domingos, trad.). Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian.

6) Com indicação de data ou título da edição original ou título traduzido:Lafargue, P. (1999). O direito à preguiça. São Paulo: Hucitec-Unesp. (Originalmente publicado em 1880)Marx, K. & Engels, F. (1993). A ideologia alemã (9ª ed.). São Paulo: Hucitec. (Originalmente publicado em 1932. Título original: Die deutsche ideologie)Oddone, I., Re, A. & Briante, G. (1977). Esperienza operaia, coscienza di classe e psicologia del lavoro [Experiência operária, consciência de classe e psicologia do trabalho]. Turim, Itália: Giulio Einaudi.

7) Capítulo de livro:Sato, L. (1993). A representação social do trabalho penoso. In M. J. P. Spink (Org.), O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social (pp. 188-211). São Paulo: Brasiliense.Deetz, S. (1992). Disciplinary power in modern corporation. In M. Alvesson & H. Willmott (Eds.), Critical Management Studies (pp. 21-45). London: Sage.Marcuse, H. (1998). Sobre os fundamentos filosóficos do conceito de trabalho da ciência econômica. In Cultura e Sociedade (vol. 2, pp. 7-50). São Paulo: Paz e Terra.

8) Artigo de revista científica:Spink, P. K. (1996). A organização como fenômeno psicossocial: notas para uma redefinição da psicologia do trabalho. Psicologia e Sociedade, 8 (1), 174-192.

9) Artigo de jornal:Chaui, M. (1999, 9 de maio). A universidade operacional. A atual reforma do estado ameaça esvaziar a instituição universitária com sua lógica de mercado. Folha de São Paulo, São Paulo, Caderno Mais!, 5, 3.Malvezzi, S. (1995). A psicometria está superada. Jornal do CRP 6ª Região, São Paulo, 15 (92), 3-5.

10) Trabalho de evento publicado em resumos ou anais:Seligmann-Silva, E. (1999). Desemprego: a dimensão psicossocial. In La psicología al fin del siglo: conferencias magistrales del XVII Congreso Interamericano de Psicología (pp. 337-359). Caracas, Venezuela: Sociedad Interamericana de Psicología.Neves, T. F. S., Ortega, C. A., Kim, C., Müller, E., Costa, F. B., Massola, G. M. M., Dadico, L., Barros, L. H., Lopes, P. S., Amêndola, M. F., Barreto, R. A. & Pires, T. A. A. (1998). Desemprego e ideologia: explicações das causas do desemprego utilizadas por trabalhadores metalúrgicos. In Anais do VII Encontro Regional da Associação Brasileira de Psicologia Social: neoliberalismo e os desafios para a psicologia social (p. 139). Bauru, SP: Associação Brasileira de Psicologia Social.

11) Dissertação ou tese:Carvalho, M. C. R. G. (1981). Fábrica: aspectos psicológicos do trabalho na linha de montagem. Dissertação de Mestrado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.Heloani, J. R. M. (1991). Modernidade e identidade: os bastidores das novas formas de exercício do poder sobre os trabalhadores. Tese de Doutorado, Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

12) Texto da internet:Marazzi, C. (s. d.). Linguagem e pós-fordismo. Lugar Comum: Estudos de mídia, cultura e democracia, 1. Artigo disponível na Internet: http://www.cfch.ufrj.br/lugarcomum/no1.html [19 novembro 1999]

13) Trabalho em vias de publicação:Salvitti, A., Viégas, L. S., Mortada, S. P. & Tavares, D. S. (no prelo). O trabalho do camelô: trajetória profissional e cotidiano. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho.

14) Texto não publicado (mimeografado, datilografado, digitado etc.):Oliveira, F. (1999). Desemprego e psicologia. São Paulo. [digitado]

 

 

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.

  1. A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  2. O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word ou OpenOffice/LibreOffice, isto é, .doc e .odt apenas.
  3. URLs para as referências foram informadas quando possível.
  4. O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  5. O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.
  6. Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.
 

Declaração de Direito Autoral

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado simultaneamente sob uma Licença Creative Commons Attribution 2 anos após a publicação, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre).

 

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.