[1]
G. Ferreira, “Entre nomes partidos e corpos pro(s)téticos, as regras de um jogo dupl”o, Rev. Cria. Crít., vol. 1, nº 25, p. 148-165, dez. 2019.