A altivez da ignorância matemática: Superbia Ignorantiam Mathematicae

  • João Paulo Attie Universidade Federal de Sergipe
  • Manoel Oriosvaldo de Moura Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Aversão à matemática, Saber matemática, Renúncia à aprendizagem

Resumo

Neste artigo, exploramos alguns aspectos associados a dois fenômenos, a aversão à matemática e a consequente renúncia a aprender a matéria, originários da relação entre a sociedade e o processo de ensino e aprendizagem de matemática. A partir de uma suposta binariedade que historicamente se acredita existir, definindo apenas os polos opostos, saber tudo e não saber nada em matemática, criam-se as condições para o disparo de um mecanismo em que, de início, se perpetua a visão corrente de que o assunto é feito somente para seres especiais e iluminados para, mais adiante, criar uma inversão de categorias entre o que é in e o que é out, relacionadas ao conjunto dos que sabem matemática e ao conjunto dos que não sabem matemática. A propósito dessa binariedade, apontamos sua impossibilidade na sociedade atual, pelo fato de não existirem mais indivíduos que saibam toda a matemática existente – o último deles, segundo alguns historiadores, teria sido Poincaré, no início do século XX – nem indivíduos sem nenhum conhecimento matemático, ainda que seja apenas um conhecimento não formal. Pela natureza dos fenômenos estudados e pelas particularidades da abordagem realizada, optamos por uma metodologia qualitativa. Além disso, discutimos no artigo o alcance e a intensidade desses fenômenos e consideramos algumas das possíveis causas e consequências dos mesmos, localizadas no processo de ensino e aprendizagem da disciplina.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-01-01
Como Citar
Attie, J., & Moura, M. (2018). A altivez da ignorância matemática: Superbia Ignorantiam Mathematicae. Educação E Pesquisa, 44, e152362. https://doi.org/10.1590/s1517-9702201702152362
Seção
Artigos