Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola

  • Alicia Bonamino Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Sandra Zákia Sousa Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Avaliação da educação, Responsabilização, Currículo escolar

Resumo

Analisam-se, neste artigo, três gerações de avaliação da educação em larga escala, a partir dos objetivos e desenhos usuais em iniciativas implementadas no Brasil. A primeira geração consiste na avaliação diagnóstica da qualidade da educação, sem atribuição de consequências diretas para as escolas e para o currículo escolar. As outras duas gerações articulam os resultados das avaliações a políticas de responsabilização, com atribuição de consequências simbólicas ou materiais para os agentes escolares. Tomando como parâmetro de análise os objetivos e desenhos dessas avaliações, bem como estudos e pesquisas que produziram evidências sobre o tema, exploram-se possíveis implicações para o currículo escolar. Por um lado, discutem-se os riscos de as provas padronizadas, com avaliações que referenciam políticas de responsabilização envolvendo consequências fracas e fortes, exacerbarem a preocupação de diretores e professores com a preparação para os testes e para as atividades por estes abordadas, levando a um estreitamento do currículo escolar. Por outro lado, aponta-se o potencial das avaliações de segunda e terceira gerações em propiciarem uma discussão informada sobre o currículo escolar, em termos das habilidades fundamentais de leitura e matemática que ainda não têm sido garantidas a todos os alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-06-01
Como Citar
Bonamino, A., & Sousa, S. (2012). Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação E Pesquisa, 38(2), 373-388. https://doi.org/10.1590/S1517-97022012005000006
Seção
Artigos