Paisagens de névoa e neblina: a imagem literária de paisagens do medo

Autores

  • Solange Lima Guimarães Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.142142

Palavras-chave:

Paisagem, Ciganos, Campo de Concentração

Resumo

Neste artigo buscamos o sentido da concretude e do simbólico concernentes às paisagens experienciadas pelos ciganos nos campos de concentração e extermínio, durante o período da II Guerra, revelando a percepção de uma topofobia. A experiência ambiental dos ciganos sempre foi constituída por sobressaltos em todos os caminhos (objetivos e subjetivos): a paisagem do medo é novamente instalada diante das incertezas, morte e perplexidades destas populações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Lima Guimarães, Universidade Estadual Paulista

Docente aposentada do Depto. de Geografia, do Instituto de Geociências e Ciências Exatas, da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, onde exerceu a docência de 1985 até 2016. Atuou ainda no Programa de Pós-graduação em Geografia do IGCE-UNESP, orientando mestrados e doutorados. 

Referências

BAUMAN, Z. Medo líquido.Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BUTTIMER, A. Apreendendo o dinamismo do mundo vivido, In: CHRISTOFOLETTI, A., Perspectivas da Geografia. São Paulo: DIFEL, 1985, p. 165-193.

FEBVRE, L. A Europa: gênese de uma civilização. Trad. IlkaStern Cohen. Bauru: EDUSC, 2004.

GUIMARÃES, S.T. de L.Reflexões a respeito da paisagem vivida, topofilia e topofobia à luz dos estudos sobre experiência, percepção e interpretação ambiental, Geosul, Florianópolis, v.17, n.33, p 117-141, jan./jun. 2002. Disponível em: http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/view/13971. Acesso: abril 2013

GUIMARÃES, S.T. de L. Paisagens:aprendizados mediante experiências. Um ensaio sobre interpretação e valoração da paisagem. 2007. Tese (Livre-docência) 2007. –Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro/SP, 2007.

Solange T. de Lima Guimarães Geografia, Literatura e Arte, v.1, n.1, p.71-93, jan./jun.2018 http://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.14214293

GUIMARÃES, S.T.L. Valoração de paisagens: campos de visibilidades e de significâncias, In: COSTA, E. B.; BRUSADIN, L. B.; PIRES, M. C. (Orgs.). Valor patrimonial e turismo: limiar entre história, território e poder. São Paulo: Outras Expressões, 2012, p. 45-59.

HOLOCAUST SURVIVORS AND REMEMBRANCE PROJECT "FORGET YOU NOT". Oliver Lustig.Disponível em: http://isurvived.org/Survivors_Folder/Lustig_Oliver/Bio.html. Acesso: maio de 2013

KRAUS, O.; KULKA, E. Tovarna na smrt. Prague: Nase Vojsko, 1957.LAGRANGE,H. La civilité à l’épreuve. Crime et sentiment d’insecurité. Paris: PUF,1996

LIMA, S. T. Paisagens & Ciganos.1996. Tese (Doutorado em Geografia) -Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro/SP, 1997.

LUSTIG, O.KZ: Dicionário do campo de concentração. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

MÜLLER-HILL, B. Ciência assassina.Rio de Janeiro: Xennon, 1993.

NOVITCH, M. Os ciganos e o terror nazista, O Correio da UNESCO, Brasília, dez/1984, ano 12, p. 24-25.

RAFFESTIN, C. Paysage et territorialité, Cahiers de Géographie de Québec, vol. 21, nº 53-54, 1977.

TUAN, Y-F. Landscape of fear. Oxford: Basil Blackwell, 1979.

TUAN, Y-F. Topofilia:um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

TUAN, Y-F. Espaço e lugar:a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1983.

UNITED STATES. HolocaustMemorial Museum.Holocaust Encyclopedia. Disponível em:<http://www.ushmm.org/wlc/en/>. Acesso: abr.2013.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

Guimarães, S. L. (2018). Paisagens de névoa e neblina: a imagem literária de paisagens do medo. Revista Geografia, Literatura E Arte, 1(1), 71-93. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.142142

Edição

Seção

Artigos