A busca pelo reconhecimento da identidade sociolinguística nacional: discussão sobre fenômenos variáveis do português brasileiro

  • Vinícius de Lacerda Universidade Católica de Brasília
  • Vânia Aquino Universidade Católica de Brasília

Resumo

O Português Brasileiro, língua nacional, falada e usada no Brasil, tem sua origem sócio-histórica atrelada aoPortuguês Lusitano. A constituição da norma-padrão (gramatical) se deu nos moldes da fala e da escrita portuguesas.Apesar de as diferenças entre as duas línguas serem claras e percebidas por ambos os povos, os brasileiros ainda aprendem,equivocadamente, regras e preceitos ligados à língua falada em Portugal, deixando-se de lado características e marcasque representam a identidade sociolinguística nacional.Esta pesquisa investiga e caracteriza, considerando a atitude dos falantes diante de fenômenos variáveis da língua portuguesa,aspectos da língua falada no Brasil que apontam possíveis traços de uma identidade sociolinguística brasileira. Apesquisa foi exploratória e quantitativa, tendo como marco teórico e metodológico o modelo sociolinguístico variacionista.Foram utilizados testes de reconhecimento linguístico, com o objetivo de promover a avaliação, o reconhecimento ea valorização das variedades linguísticas brasileiras. Observou-se neste trabalho que os falantes cultos selecionadosmostraram-se conscientes acerca da questão essencial de se reconhecer essa identidade sociolinguística brasileira, avaliandoe julgando alguns fenômenos variáveis do português brasileiro como variedades mais próximas de seu repertóriolinguístico em situações de fala menos monitorada. Isso contribui ainda mais para uma verdadeira conscientização sobrea existência e o reconhecimento de uma língua que, futuramente, pode vir a ser brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-06-30
Como Citar
Lacerda, V. de, & Aquino, V. (2012). A busca pelo reconhecimento da identidade sociolinguística nacional: discussão sobre fenômenos variáveis do português brasileiro. Linha D’Água, 25(1), 29-45. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v25i1p29-45
Seção
Artigos originais