A paz pede arte: Os diálogos de paz e seus agentes

Palavras-chave: agência, mediação, negociação, diálogos de paz, conflito israelo-palestino.

Resumo

Este artigo explora uma agenda de pesquisa teórico-aplicada no âmbito das ciências da linguagem. Como parte da pesquisa, apresentaremos nossa análise de um diálogo, disponibilizado pelo projeto The Palestine Papers, entre negociadores do Estado de Israel e da Organização para a Libertação da Palestina. Abordaremos, assim, um objeto teórico (agência dialógica) e um objeto empírico (diálogos de paz israelo-palestinos). E, a partir do arsenal teórico proposto, dos problemas levantados na análise e de uma proposta de pacificação tomada como base, defenderemos um cenário alternativo de mediação, cujo núcleo é o uso de novos agentes e novas linguagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stéphane Dias, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutora em Letras – Linguística. Desenvolve pesquisa interdisciplinar sobre linguagem e diálogo, com foco em agência e racionalidade. Professora substituta no Instituto Federal Farroupilha Campus Santo Augusto e embaixadora Playing for change.

 

 

Publicado
2018-07-28
Como Citar
Dias, S. (2018). A paz pede arte: Os diálogos de paz e seus agentes. Malala, 6(9), 91-116. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2018.148427
Seção
Artigos