A existência como resultado de acasos em Quem ama não dorme, de Robert Schneider

Palavras-chave: Robert Schneider, fragmentação, insólito, ironia

Resumo

Quem ama não dorme (Schlafes Bruder) é o primeiro romance do escritor austríaco Robert Schneider, publicado em 1992. Ele conta a história de um prodígio da música, nascido em um vilarejo no início do século XIX. Este artigo tem como objetivo refletir sobre a série de empecilhos que impedem o protagonista, Elias Alder, de alcançar sucesso profissional e pessoal, tendo em vista as limitações da comunidade. O romance condensa características modernas e pósmodernas, como a fragmentação identitária, a ironia, o estranhamento e a quebra da linearidade narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-02
Como Citar
Umbach, R., & Pereira, S. (2020). A existência como resultado de acasos em Quem ama não dorme, de Robert Schneider. Pandaemonium Germanicum, 23(39), 111-127. https://doi.org/10.11606/1982-88372339111
Seção
Artigos