Guy Debord e a Internacional Situacionista: Crítica unitária da economia política e da cultura

  • Erick Quintas Corrêa Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Faculdade de Ciências e Letras campus de Araraquara (UNESP/FCLAr).
Palavras-chave: economia política, cultura, espetáculo, linguagem, comunicação, vanguardas

Resumo

O artigo apresenta o conceito de espetáculo, formulado na década de 1960 pelo situacionista francês Guy Debord (1931-94), como nucleado por uma indivisível reflexão social (crítica da economia política) e estética (crítica da cultura). Demonstra-se também como é precisamente com base nessa crítica unitária da passividade, fundada nas separações tanto da economia como da cultura mercantis, que a Internacional Situacionista (1957-72) aspirou a uma inédita unificação prática dos programas até então separados das vanguardas políticas e estéticas. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erick Quintas Corrêa, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Faculdade de Ciências e Letras campus de Araraquara (UNESP/FCLAr).
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara (PPGCS/UNESP/FCLAr).
Publicado
2019-07-31
Como Citar
Corrêa, E. (2019). Guy Debord e a Internacional Situacionista: Crítica unitária da economia política e da cultura. Angelus Novus, (14), 99-115. Recuperado de http://www.journals.usp.br/ran/article/view/144450
Seção
Artigos