Fatores associados à prática de dança de salão em idosos residentes na comunidade

dados do Fibra Polo Unicamp

Autores

  • Camilla Rodrigues Gomes Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, São Paulo, SP, Brasil
  • Samila Sathler Tavares Batistoni Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, São Paulo, SP, Brasil; Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP, Brasil
  • Ruth Caldeira de Melo Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, São Paulo, SP, Brasil
  • Taiguara Bertelli Costa Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP, Brasil; Centro Universitário de Jaguariúna, Jaguariúna, SP, Brasil
  • Anita Liberalesso Neri Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v32i4p589-601

Resumo

A presente pesquisa buscou identificar fatores associados ao envolvimento em dança de salão entre variáveis de natureza sociodemográfica, de indicadores de saúde, de atividade física e de bem-estar psicossocial. Participaram do estudo 230 idosos (72,2 ± 5,5 anos; 63,04% mulheres) que compõem uma subamostra do estudo Fibra (Rede de Estudos sobre Fragilidade em Idosos Brasileiros) os quais não apresentaram déficits
cognitivos e responderam afirmativamente para o envolvimento em dança de salão em levantamento realizado a partir da aplicação do Minnesota Leisure Time Activity Questionnaire. Cerca de 87% dos idosos foram classificados como fisicamente ativos, obtendo média de dispêndio energético semanal de 2334,1 METs (DP = 2897,9). O dispêndio energético médio em dança de salão (997,7 METs; DP = 1124,1) representou 40% do gasto energético semanal em atividades físicas gerais. Houve associações entre maior dispêndio energético em dança de salão e níveis de renda, autoavaliação de saúde e suporte social. Análise de regressão logística multivariada apontou que relatar boa ou muito boa autoavalição de saúde e graus moderados e altos de suporte social foram significativamente associados ao maior dispêndio energético em dança de salão. Tais resultados sugerem que a prática de dança de salão, para os idosos da amostra, está associada a indicadores positivos de saúde e qualidade de vida no auxílio à manutenção de um envelhecimento ativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Gomes, C. R., Batistoni, S. S. T., Melo, R. C. de, Costa, T. B., & Neri, A. L. (2018). Fatores associados à prática de dança de salão em idosos residentes na comunidade: dados do Fibra Polo Unicamp. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 32(4), 589-601. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v32i4p589-601

Edição

Seção

Artigos