Evolução holocênica das encostas da bacia do riacho Bruscas, Nordeste do Brasil

Palavras-chave: Informações paleoambientais, Modelados agradacionais, Depósitos de encosta

Resumo

Localizada na Província Geológica da Borborema, a bacia do Riacho Bruscas constitui importante amostra do contexto geomorfológico e geológico do setor oriental do Nordeste do Brasil, onde a morfogênese e suas implicações paleoclimáticas são particularmente distintas daquelas que afetam áreas do sul e sudeste do país. O presente trabalho tem como objetivo analisar encostas com coberturas coluviais da bacia do Riacho Bruscas, tomando como base as características dos sedimentos, sua cronologia absoluta (LOE), geometria, estrutura e arranjo estratigráfico. Apesar de fragmentários, disjuntos espacialmente, e originários de intensidades distintas, esses materiais podem fornecer informações importantes sobre a dinâmica geomorfológica que, em última instância, reflete a ação dos componentes paleoambientais sobre a organização das unidades agradacionais do relevo. Os resultados foram agrupados em função dos dados coletados em quatros setores distintos da bacia, onde ocorrem depósitos coluviais, de forma a abranger todos os contextos morfológicos que, na área, resultaram na acumulação de sedimentos de encosta. Os depósitos estudados apresentaram-se confinados em intervalo de tempo que alcança desde o limiar Pleistoceno/Holoceno até a Pequena Idade do Gelo. Contudo, enquanto os depósitos resultantes da reumidificação geral observada ao final do Pleistoceno são ubíquos nas demais áreas do Nordeste semiárido, os depósitos do Holoceno médio e superior apontam para ocorrências mais localizadas, provavelmente relacionadas à ação de eventos pluviais orograficamente condicionados, mais intensos sobre o maciço da Serra da Baixa Verde e outros setores elevados do Planalto da Borborema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAMS, J., MASLIN, M.; THOMAS, Ellen. Sudden climatic transitions during the Quaternary. Progress in Physical Geography, v. 23, 1999, p. 01-36.

AMORIM, R. de F. Integração entre dinâmicas geomorfológicas multitemporais no Planalto da Borborema, Semiárido do NE do Brasil. 2015. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

AMORIM, R. de F.; CORRÊA, A. C. de B. SILVA, D. G. da. Tempo e magnitude nos processos geomorfológicos. Revista de Geografia, Rio Claro, v. 41, n. 1, 2016, p. 17-31.

AITKEN, M. J. An introduction to optical dating: the dating of Quaternary sediments by the use of photo-stimulated luminescence. New York: Oxford University Press Inc., 1998. 267 p.

BEHLING, H.; LICHTE, M. 1997. Evidence of Dry and Cold Climatic Conditions at Glacial Times in Tropical Southeastern Brazil. Quaternary Research, v. 48, 1997, p. 348-58.

BIGARELLA, J.J.; ANDRADE-LIMA, D.; RIEHS, P.J. Considerações a respeito das mudanças paleoambientais na distribuição de algumas espécies vegetais e animais do Brasil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 47: 412-464, 1975.

CAMARGO FILHO, M.; BIGARELLA, J. J. Correlação de parâmetros estatísticos de sedimentos de vertentes, rampas de colúvio-alúvio e terraço de várzea da bacia do Bananas, Guarapuava – PR. Geosul, v. 14, 1998, p. 438-442.

CONROY, J. L.; OVERPECK, J.T., COLE, J. E.; SHANAHAN, T.M.; STEINITZ-KANNAN, M. Holocene changes in eastern tropical Pacific climate inferred from a Galápagos lake sediment record. Quaternary Science Reviews, v. 27 n 11, 2008, p. 1166-1180.

CORRÊA, A. C. de B. Dinâmica geomorfológica dos compartimentos elevados do Planalto da Borborema, Nordeste do Brasil. 2001. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2001.

ERIKSSON, M.G.; OLLEY, J.M.; PAYTON, R. W. Soil erosion history in central Tanzania based on OSL dating of colluvial and alluvial hillslope deposits. Geomorphology, v. 36, 2000, p. 107-128.

LANCI, L.; HIRT, A. M. Evidence of Atlantic Multidecadal Oscillation in the magnetic properties of Alpine lakes during the last 2500 years. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 440, 2015, p. 47-52.

LIMA, F. J. de. Evolução geomorfológica e reconstrução paleoambiental do setor subúmido do Planalto Sedimentar do Araripe: um estudo a partir dos depósitos coluviais localizados nos municípios de Crato e Barbalha – Ceará. 2014. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

LIRA, D. R. de. Origem, dinâmica e reconstrução geomorfológica através da assinatura geoquímica dos latossolos nas bacias do Riacho do Pontal e GI-8. 2014. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

GURGEL, S. de P.; BEZERRA, F. H.R.; CORRÊA, A. C.B.; MARQUES, F. O.; MAIA, R. P. Cenozoic uplift and erosion of structural landforms in NE Brazil. Geomorphology, v. 186, 2013, p. 68-84.

HAUG, H.G.; HUGHEN, K. A.; SIGMAN, D.M.; PETERSON, L.C.; RÖHL, U. Southward migration of the Intertropical Convergence Zone through the Holocene. Science, v. 17, 2001, p. 1304-1308.

MELO, J. S. Dinâmica geomorfológica do ambiente de encosta em Brejo da Madre de Deus-PE: uma abordagem a partir da perspectiva morfoestratigráfica aos depósitos coluviais. 2008. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, 2008.

MOURA, J. R. S.; MELLO, C. L. Classificação aloestratigráfica do Quaternário superior da região de Bnanal (SP/RJ). Revista Brasileira de Geociências, v. 21, 1991, p. 236-254.

MOURA, J. R. S.; SILVA, T. M. Complexo de rampas de colúvio. In: Cunha, S. N.; Guerra, A. J. T. Geomorfologia do Brasil, Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 1998, 338 p.

MOY, C. M.; SELTZER, G. O.; RODBELL, D. T.; ANDERSON, D. M. Variability of El Niño/Southern Oscillation activity at millennial timescales during the Holocene epoch. Nature, v. 420, 2002, p. 162-165.

MUTZENBERG, D. S. Ambientes de ocupação pré-histórica no boqueirão da pedra furada, Parque Nacional Serra da Capivara-PI. 2010. Tese (Doutorado em Arqueologia) - Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Universidade Federal de Pernambuco, 2010.

PAISANI, J. C.; PAISANI, S. D. L.; OSTERRIETH, M. L.; PONTELLI, M. E.; FUJITA, R. H. Dinâmica de rampa de colúvio na superfície de Palmas/Água Doce durante o Quaternário tardio – bases para compreender a evolução das encostas no Planalto das Araucárias. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 18, n. 4, p.103-116, 2017.

PEJRUP, M. The triangular diagram used for classification of estuarine sediments a new approach. In: BOER, P.L.; VAN GELDER, A.; NIO, S. D. (ed.). Tide-Influenced Sedimentary Environments and Facies. D. Reidel, Dordrencht. 1988. p. 289-300.

PETIT J. R. et al. Climate and atmospheric history of the past 420,000 years from the Vostok ice core, Antarctica. Nature, v. 399, 1999.

RAMOS, Débora Albuquerque Meira Coelho. Os depósitos de encosta na reconstrução da dinâmica geomorfológica na bacia do riacho Piancozinho (Pernambuco/Paraíba). 2014. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

SELBY, M. J. Hillslope Matirials and processes. Oxford University Press. New York, USA, 1993. 445p.

STAINES-URÍAS, Francisca; GONZÁLEZ-YAJIMOVICH, O.; BEAUFORT, L. Reconstruction of past climate variability and ENSO-like fluctuations in the southern Gulf of California (Alfonso Basin) since the last glacial maximum. Quaternary Research, v. 83, 2015. p. 488-501.

SILVA, D. G. da. Reconstrução da dinâmica geomorfológica do semiárido brasileiro no Quaternário superior a partir de uma abordagem multiproxy. 2013. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2013.

TAVARES, B. de A. C. Evolução morfotectônica dos pedimentos embutidos no Planalto da Borborema, Nordeste do Brasil. 2015. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

THOMAS, M. F. Landscape sensitivity to rapid environmental change – a Quaternary perspective with examples from tropical areas. Catena, v. 55, 2004, p. 107-124.

Publicado
2020-06-21
Como Citar
Amorim, R., Corrêa, A., Mutzenberg, D., & Meira, D. (2020). Evolução holocênica das encostas da bacia do riacho Bruscas, Nordeste do Brasil. Revista Do Departamento De Geografia, 39, 112-125. https://doi.org/10.11606/rdg.v39i0.157557
Seção
Artigos