O candombe uruguaio em obras para violão

elementos para uma performance culturalmente informada

  • Marcos Matturro Foschiera Universidade Federal de Minas Gerais
  • Flavio Terrigno Barbeitas Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Performance culturalmente informada, Candombe, Violão latino-americano

Resumo

Com o objetivo de definir o conceito de Performance Culturalmente Informada e exemplificá-lo, o texto, após uma introdução de cunho teórico, examina quatro obras para violão solo de Carlevaro (1974), Aguirre (2004), Sinesi (1994) e Moscardini (2006), todas inspiradas no candombe uruguaio. A abordagem visou demonstrar como uma compreensão de dados culturais do gênero, baseada principalmente em Ferreira (1997), Ayestarán (1966), Fernandez (2017) e Aharonián (2007), fornece ao intérprete um horizonte para especular, experimentar e criar, contribuindo para uma elaboração crítica e autônoma de sua performance. Assim, nas obras analisadas emergem possibilidades de absorver práticas do candombe tradicional relativas a percussividade, acentuação, articulação e caráter ritualístico, mesmo com todas as dificuldades que a tradução para o violão de uma manifestação essencialmente percussiva apresenta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Matturro Foschiera, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Música - Violão pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009), mestrado em Música - Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015), e doutorado em Música - Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais (2019). Artista e pesquisador dedicado ao estudo da música latino-americana, bem como da compreensão dos processos relacionados à preparação de obras por grupos de câmara. Como violonista, atua em apresentações solo e camerísticas, abrangendo um repertório variado, que inclui música latino-americana, contemporânea e popular. Como docente colaborou com as Universidades federais do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais, além de atuar como oficineiro de música pela organização social POIESIS/SP, dentro do estado de São Paulo. Atualmente é Coordenador de Polo do Projeto Guri em Indaiatuba/SP.

Flavio Terrigno Barbeitas, Universidade Federal de Minas Gerais

Bacharel em Música (violão) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995) e Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais/ Università di Bologna (2007). Desde 1996 é docente na Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, atualmente nos níveis de Graduação e Pós-graduação Mestrado e Doutorado). Além de atividades musicais como violonista, dedica-se a aspectos teóricos da música com pesquisas em dois eixos principais: 1) a música na relação geral com a cultura brasileira e com os processos de construção e desconstrução da identidade nacional (desdobramentos da dissertação de Mestrado: Circularidade cultural e nacionalismo nas Doze valsas para violão de Francisco Mignone) 2) a música na relação com outras artes, principalmente a Literatura, a partir de temas como Música e Representação, Música e Linguagem (desdobramentos da tese de Doutorado: A música habita a linguagem: teoria da música e noção de musicalidade na poesia).

Referências

AGUIRRE, Carlos. Rumor de tambores. CD, faixa 2. In Violeta. Argentina: Shagrada Medra, 2008.

AGUIRRE, Carlos. Rumor de tambores. Para violão solo. In Imágenes. Paraná, Argentina: Tráfico de arte, 2004. Partitura.

AHARONIÁN, C. Músicas Populares del Uruguay. Montevideo, Uruguay: Universidade de la República - Uruguay, 2007.

ALMEIDA, Alexandre Z. Por uma visão de música como performance. Revista Opus, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 63-76, 2011.

AMIM, Alexandre Gismonti M. A polirritmia no violão: uma investigação a partir de 6 peças de Egberto Gismonti.149 f. Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Música, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

AYESTARÁN, L. El Folclore Musical Uruguayo. 6° ed. Montevidéu: Arca Editorial, 1966.

BROUWER, Leo. Rito de los orishas. Para violão solo. Saint-Nicolas, Québec: Doberman-Yppan, 1994. Partitura.

CARLEVARO, Abel. Preludios Americanos n° 5 - Tamboriles. Para violão solo. Buenos Aires, Argentina: Barry editorial, 1974. Partitura.

CARLEVARO, Abel. Carlevaro plays Carlevaro. Alemanha: Chanterelle, 1986. LP.

CATALINA, Agarrate. Agarrate Catalina - Dios y el Diablo - El corso del ser humano (2007). (9m52s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=apfX7eRiooc Acesso em: 12 de dezembro de 2018.

COHEN, Sara. Polirrítmos nos estudos para piano de Gyorgy Ligeti. 193 f. Tese (Doutorado em Música). Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

COOK, Nicholas. Beyond the score: Music as performance. Oxford University Press, 2013.

FATTORUSO, Hugo. Candombe “Tonos Negros/Madera y Lonja” Hugo Fattoruso Grupo del Cuareim. (7m30s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=vmUHyJBTR0A, Acesso em: 12 de dezembro de 2018.

FATTORUSO, Hugo. Hugo Fattoruso Songbook: instrumental, canciones, parcerias. Villa Maria: Eduvim, 2010.

FERNANDEZ, Eduardo. Qué es eso de “música sudamericana”?. Universidad de la República - Escuela Universitaria de música – Uruguai, 2017 Disponível em: https://www.eumus.edu.uy/files/SA1.pdf. Acesso em: 20 de janeiro de 2018.

FERREIRA, Luis. Los tambores del candombe. Buenos Aires: Ediciones Colihue-Sepé, 1997.

FOSCHIERA, Marcos M. Violão sem fronteiras: criações interpretativas em obras inspiradas na música folclórica sul-americana. Tese de Doutorado em Música. Escola de Música, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

FREITAS, KIKO. Entrevista Kiko Freitas. (22m27s). Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=LbSisb3YdPQ Acesso em 25 de outubro de 2018.

GUÉRIOS, Paulo R. Heitor Villa-Lobos: o caminho sinuoso da predestinação. 2 ed. Curitiba: Edição do autor, 2009.

LÓPEZ-CANO, Rubén.; OPAZO, Úrsula. Investigación artística en música: Problemas, métodos, experiencias y modelos. Barcelona: Programa de Fomento a Proyectos y Coinversiones Culturales del Fondo Nacional Para la Cultura y las Artes de México, 2014.

GULARTE, Jorge et al. La tambora. LP, Lado A, faixa 1. In La Tambora. Uruguay: Sondor, 1984.

MOSCARDINI, Carlos. Duendes mulatos. Para violão solo. Argentina: EPSA Publishing S.A., 2006. Partitura.

PONS, Jaurés Lamarque. Suite de ballet según Figari - Candombe. (4m10s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_68QpOX7Sck, Acesso em: 12 de dezembro de 2018.

RIBEIRO MEDEIROS, Daniel; KUHN DA SILVA, Danilo. Ares de milonga: apontamentos sobre elementos característicos como bases para peformance. DAPesquisa, Florianópolis, v. 9, n. 11, p. 144-168, jun. 2014.

SADIE, Stanley. Cross-rhythm. The new grove dictionaire of music and musicians. 2° ed. Londres: Macmillan publishers limited, 2001, vol. 6, p. 727.

SADIE, Stanley. Polyrhyhtm. The new grove dictionaire of music and musicians. 2° ed. Londres: Macmillan publishers limited, 2001, vol. 20, p. 84

SADIE, Stanley. Rhythm. The new grove dictionaire of music and musicians. 2° ed. Londres: Macmillan publishers limited, 2001, vol. 21, p. 277-309.

SCLIAR, Ester. Fraseologia musical. Porto Alegre: Movimento, 1982.

SINESI, Quique. Cielo abierto. CD, Faixa 1. Quique Sinesi (intérprete). In Microtangos. Argentina: Melopea Discos, 1996.

SINESI, Quique. Cielo abierto. CD, faixa 12. Berta Rojas (intérprete). In Cielo abierto. Onmusic, 2006.

SINESI, Quique. Cielo abierto. CD, faixa 3. Victor Villadangos (intérprete). In Guitar Music of Argentina vol. 2. Naxos, 2006.

SINESI, Quique. Cielo abierto. CD, faixa 8. Julio Azcano (intérprete). In Distancias. Eos Guitar Edition, 2016.

SINESI, Quique. Cielo abierto. Para violão solo. In 14 Estudios para Guitarra Fusión. Buenos Aires, Argentina. Ricordi, 1994. Partitura.

STRAIN, James A. Rhythm. In SHEPHERD, John et al. (org). Continuum Encyclopedia of Popular Music of the World: Performance and production. Nova Iorque: Continuum, 2003, p. 612 - 620.

TAMLYN, Garry. Polyrhyhtm. In SHEPHERD, John et al. (org). Continuum Encyclopedia of Popular Music of the World: Performance and production. Nova Iorque: Continuum, 2003, p. 612.

UNESCO. Tango y candombe declarados patrimonio cultural intangible de la UNESCO. 30 de setembro de 2009. Disponível em: https://news.un.org/es/story/2009/09/1175141. Acesso em: 15 de agosto de 2018.

Publicado
2020-07-06
Como Citar
Foschiera, M., & Barbeitas, F. (2020). O candombe uruguaio em obras para violão. Revista Música, 20(1), 177-218. https://doi.org/10.11606/rm.v20i1.170193